Aviso

Esse é o meu primeiro post da madrugada. Não há muitos detalhes, nem meus sentimentos sobre o ocorrido. Mas logo irei postar publicações com detalhes ou até mesmo áudios mostrando como eu me sinto. Ficarei extremamente feliz se souber que existe alguém como eu…

Anúncios

Como tudo começou..

É extremamente difícil falar sobre uma droga de estupro. Ainda mais quando se trata de uma criança de 12 anos. Sim….12 anos. Agora eu vejo que é super normal alguém com 12 anos sofrer esse tipo de coisa. Vamos lá…

Eu estava entrando na minha adolescência (era o que eu pensava) e tudo era muito novo pra mim: garotos, beijos, menstruação… E confesso, sempre fui teimosa, nunca obedeci meus pais. Eu moro em Jacobina até hoje, mas sempre que dava, eu ia para uma cidade vizinha chamada Caldeirão Grande junto com a empregada de casa (também não citarei o nome dela) e isso acontecia quase todos os finais de semana. Eu ia com a desculpa de que estava com saudades das minhas amigas que moravam lá e meu pai sempre acreditava.

De tanto ir, eu acabei conhecendo um garoto de 17 anos (praticamente um homem) que quis ficar comigo, ele era bonito, e mesmo com meus pais falando “Não fique com ninguém” eu era incapaz de obedecer. Então acabei ficando. Ele era um doce, carinhoso, beijava bem… Eu já estava me apaixonando logo na primeira vez que fiquei com ele. Outros dias se passaram, conversamos bastante por Whatsapp, ficamos outras vezes. Eu não sabia o que era amor e falava espontaneamente que o amava antes mesmo de começar a namorar. Ele sempre correspondia. Algum dia, eu tomei coragem e perguntei se ele queria conhecer meus pais, pois assim não iríamos precisar ficar às escondidas. Ele aceitou.

Pelo fato dele ter 17 anos e eu 12 anos, meus pais obviamente não gostaram do nosso namoro, Principalmente meu pai. Mas a minha teimosia e o meu amor por esse garoto me fez ir contra os meus pais. Ficamos 11 meses juntos. Pra quem estava de fora do nosso relacionamento, poderia dizer que nos amávamos muito. Mas isso era uma grande mentira. Era tudo uma ilusão. O tempo foi passando e ele disse que o sexo (uma coisa que eu nem imaginava fazer) deixaria nossa relação mais forte e que se eu não fizesse, ele iria atrás de outra. O meu medo de perder ele foi muito maior e então eu fui para a casa dele mesmo assim. Na hora do sexo, meu corpo estava imóvel, não conseguia me mexer, eu falava “Não” mas ele continuava. Então ele penetrou da forma que ele queria sem o meu consentimento. Eu chorei sem ele ver. Eu dizia a mim mesma “Ele me ama, Isso vai nos fortalecer”. E ele continuava. Ele continuou até gozar.

Ele sabia que eu tinha 12 anos, ele sabia que eu era apenas uma menina e ele também sabia que eu estava com medo. Isso me persegue até hoje. A depressão me atacou, a ansiedade e inúmeras coisas. Eu quis morrer naquele dia.